Suor em excesso: o que fazer?

Suar de maneira excessiva nas mãos e na axilas é bastante comum, mas também há quem tenho o problema na nuca, nos pés e até nas bochechas. Conheça as soluções que o Dr. Claudio Wulkan propõe.

Dr. Claudio Wulkan, dermatologista

O suor em excesso é um problema que afeta muitas pessoas | <i>Crédito: Shutterstock
O suor em excesso é um problema que afeta muitas pessoas | Crédito: Shutterstock
Nesse artigo, eu vou expor um problema muito comum, que a sudorese exagerada, também conhecida na dermatologia como hiperidrose. Na imensa maioria dos casos ela é uma característica pessoal e genética. A pessoa transpira muito – e ponto. E ela deve gerar preocupação apenas se aparecer de repente e de maneira muito intensa. Embora seja uma situação rara, o suor exagerado pode ser causado por doença metabólica, endócrina ou por um tumor que esteja estimulando a produção de suor. 

Em geral, a hiperidrose é localizada e só acontece em áreas específicas. Ao longo da minha carreira, conheci pessoas que andavam com uma toalhinha para secar as mãos ao cumprimentar alguém. Outras tinham hiperidrose plantar e chegavam a escorregar nos próprios pés ao usar uma sandália ou chinelo. Conheci também quem transpirasse na virilha, nas costas, só na bochecha, na testa ou na nuca. No entanto, o mais comum mesmo é transpirar exageradamente nas axilas, formando a famosa marca de “pizza” nas roupas. 

Mas o que podemos fazer para controlar a hiperidrose ? Se os produtos de prateleira não funcionarem, é hora de procurar o dermatologista. É ele quem poderá orientá-la, apresentando as novidades que surgiram nos últimos anos. Por exemplo: para hiperidrose generalizada, há uma medicação oral muito utilizada. Logicamente, ela só pode ser administrada com supervisão médica – e realmente diminui muito a sudorese, por isso os pacientes adoram. 

Já a sudorese localizada responde muito bem ao tratamento com toxina botulínica. O famoso “botox” (nome comercial de uma das formas da toxina no mercado brasileiro) reduz mais de 80% a quantidade de suor na região tratada. E dura de quatro a dez meses, deixando a área bem sequinha. Serve bem para axila, mãos, pés, cabeça, virilha, costas , nuca…

Para axila, existe ainda uma técnica específica de lipoaspiração com curetagem das glândulas sudoríparas, com excelentes resultados. Mas poucos são os dermatologistas habilitados e que a fazem com maestria. Há também um novo aparelho, chamado MiraDry. Ele usa micro-ondas para dissolver as glândulas na axila. Mas é caríssimo e pouco e caz, ainda. Perceba que são várias as opções para o controle do suor. Procure um especialista para discutir qual é a ideal para você. 

25/02/2017 - 08:00

Conecte-se

Revista Viva Mais