Tá panda? Amenize essas olheiras agora!

Incômodo é decorrente de excesso de pigmentação na região dos olhos ou da má circulação sanguínea

Redação Viva! Mais 02/08/2017 - 08:13

Não há uma cura definitiva para as olheiras, mas, sim, soluções para diminuir o aspecto escuro

Temidíssimas por mulheres e homens, as olheiras costumam ser as grandes responsáveis pelo aspecto cansado da feição facial. Quem nunca acordou com o entorno dos olhos meio escurecidos, lembrando os fofos pandinhas? Pois as olheiras conferem um ar de abatimento e ocorrem em pessoas de todas as idades. Além de hábitos de vida saudáveis e cuidados diários, os tratamentos estéticos podem ser aliados para suavizar o incômodo.



De acordo com a fisioterapeuta dermato-funcional Thaís Carvalho, as olheiras se formam da concentração anormal de melanina ou vasos na região palpebral inferior. “As olheiras roxas aparecem, geralmente, em decorrência do acúmulo de vasinhos sanguíneos e ficam mais aparentes após noites mal dormidas. As olheiras marrons são mais comuns por fatores hereditários, pois há um acúmulo de melanina (pigmento que dá cor à nossa pele) na região dos olhos fazendo com que ela aparente ser mais escura do que as demais áreas do rosto. Elas são muito comuns em peles da etnia árabe. Vale lembrar que proximidade à menstruação, exposição excessiva ao sol, fricção ao limpar e/ou coçar demais a área em torno dos olhos e o tabagismo também potencializam o aparecimento de olheiras”.

 

Não há uma cura definitiva para as olheiras, mas, sim, soluções para diminuir o aspecto escuro. “Além de um sono de qualidade, a aplicação de cremes para a área dos olhos pode amenizar o problema. Eles e devem ser aplicados diariamente, até duas vezes ao dia, com movimentos leves para estimular a circulação. Os ativos escolhidos vão depender da causa. Outra dica é fazer compressas geladas de chá de camomila, que provocam a vasoconstrição, melhorando a circulação sanguínea”, recomenda Thaís.

 

Além do protetor solar, a especialista recomenda a utilização de um sérum na parte da noite, que deve conter os princípios ativos ácido hialurônivo, vitamina C e Dmae. O dedo anular deve deslizar suavemente e com leve pressão, indo do canto interno da pálpebra superior para o externo. Depois, deve-se começar novamente do canto interno dos olhos, mas na parte inferior, e ir em direção ao canto externo. É possível finalizar com leves batidinhas com a ponta do dedo indicador e do dedo médio, alternadamente. A pressão e compressão ajuda a bombear o líquido retido. Assim que acabar os movimentos, feche os olhos e, também com o dedo anular, pressione o canal lacrimal por dez segundos, fazendo um pequeno círculo.