Conheça os benefícios dos frutos do mar

Peixes, camarões, siris, lulas, polvos, ostras, mariscos e mexilhões são extremamente importantes para a saúde

Caique Silva

Peixes, camarões, siris, lulas e outros fazem muito bem à dieta | <i>Crédito: Shutterstock
Peixes, camarões, siris, lulas e outros fazem muito bem à dieta | Crédito: Shutterstock
  Os efeitos benéficos dos frutos do mar para a saúde são largamente conhecidos. Sabe-se que peixes, camarões, siris, lulas, polvos, ostras, mariscos e mexilhões fortalecem o sistema imunológico, contribuem para a redução dos níveis de colesterol, previnem contra a demência, evitam o diabetes, diminuem as chances de depressão, ajudam na formação dos músculos e protegem contra doenças cardiovasculares. Mas, para desfrutar dessas vantagens por completo e evitar estragar a dieta, é preciso tomar alguns cuidados. 

  Começando pelos peixes, é importante destacar que a forma de preparação influencia muito na quantidade de calorias que esse alimento vai adicionar ao cardápio diário."O ideal é o consumo de grelhados ou assados, de preferência acompanhados de molhos leves, arroz, purês e vegetais", aconselha a nutricionista Fabiana Honda. Quando frito, o peixe transforma-se em item muito gorduroso e perde o status de protetor do cérebro e do coração.

Consumidos crus, na forma dos sashimis, os peixes preservam a totalidade dos nutrientes. "As vitaminas lipossolúveis (A, D e E) presentes no atum e no salmão resistem bem ao calor. Entretanto, a exposição às altas temperaturas pode reduzir as propriedades do ômega 3", explica a nutricionista da PB Consultoria Patrícia Bertolucci. 

  O ômega 3, por sinal, é a grande estrela quando se trata das maravilhas vindas do mar. Esse tipo de ácido graxo, encontrado principalmente nos habitantes de água fria, como salmão, atum, sardinha, arenque, anchova, tainha, bacalhau e truta, promove uma faxina geral nas artérias. Além disso, faz o coração bater forte porque aumenta o colesterol bom (HDL) e reduz o ruim (LDL). E ainda diminui o índice de triglicérides e a pressão sanguínea, prevenindo contra aterosclerose, infarto e derrame. 

"Vale ressaltar que sardinha e atum em lata também são boas opções. Pesquisadores da Escola Paulista da Medicina avaliaram que as sardinhas em conserva disponíveis no nosso mercado demonstraram um conteúdo de ômega-3 bem satisfatório", afirma o neurologista Ricardo Teixeira.

  Para se beneficiar, é necessário consumir peixes em boas porções. O cardiologista Michael Burr constatou, no Centro de Pesquisas Médicas de Cardiff, no País de Gales, que vítimas de ataques cardíacos aumentaram as chances de evitar novos problemas em 29%, passando a comer peixe pelo menos duas vezes por semana. Portanto, agende a presença desse alimento no seu cardápio semanal. 

Outros frutos do mar 

  Antes de escolher quais delícias saborear, fique atenta às informações nutricionais de cada fruto do mar. No quesito quantidade de calorias, considerando 100g dos alimentos crus, os campeões são a lagosta (112 kcal), o siri (107 kcal) e o camarão (106 kcal). 

  Os menos calóricos são a ostra (59 kcal), o marisco (74 kcal) e o polvo (82 kcal). Todos os frutos do mar, em especial a lagosta, o camarão e o siri, são ricos em proteínas. A responsável pela equipe nutricional do Minha Vida, Roberta Stella, explica que elas são fundamentais para o nosso corpo, pois oferecem aminoácidos, que ajudam a construir novos tecidos, como o muscular. Além disso, formam enzimas, hormônios e anticorpos.

  Outro integrante saudável desses alimentos são as chamadas gorduras boas. Os destaques vão para o siri, o mexilhão e o camarão. Por outro lado, o colesterol está presente nos frutos do mar e precisa ser controlado. Segundo Roberta, em altas quantidades, a substância está relacionada ao desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Os campeões na oferta são lula e camarão. Já a ostra entra em cena com uma baixa quantidade da gordura, seguida do mexilhão e do marisco.



10/01/2017 - 20:39

Conecte-se

Revista Viva Mais