Saiba tudo sopre repelente para se proteger nesse verão

Nesse verão, o uso do repelente é essencial para proteger sua pele, mas sempre tomando os cuidados necessários

Caique Silva

Nesse verão, o uso do repelente é essencial para proteger sua pele, mas sempre tomando os cuidados necessários | <i>Crédito: Shutterstock
Nesse verão, o uso do repelente é essencial para proteger sua pele, mas sempre tomando os cuidados necessários | Crédito: Shutterstock

  Há três principais tipos de repelentes de insetos no Brasil. Aqueles à base de Icaridina, DEET e IR3535. Todos, se mal usados, podem provocar efeitos tóxicos. A dermatologista Carolina Marçon, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, explica que, em primeiro lugar, é necessário verificar se o repelente é aprovado pela Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa).

  Para que o repelente seja eficaz, é necessário aplicar uma boa quantidade nas áreas expostas. E, segundo Carolina, jamais dormir com repelente. “Ele é usado apenas para a exposição, não se pode dormir sem tomar banho para retirá-lo”, preocupa-se a dermatologista.

“Icaridina é um repelente feito a partir da pimenta, que é muito indicado pela Organização Mundial da Saúde. Ele é melhor do que o DEET porque dá mais horas de proteção e é mais eficaz contra o Aedes Aegypt. Mas se você só tem o DEEP por perto você pode usar, lembrando que os dois só podem ser usados em crianças acima de 2 anos”, segundo a dermatologista Tatiana Di Perrelli

Icaridina

  O mais potente repelente disponível no Brasil é aquele à base de Icaridina. O pediatra e neonatologista Jorge Huberman explica que recomenda esse repelente pelo fato de ele durar até 12 horas na pele. Por ter necessidade de menos reaplicações, esse repelente é considerado o melhor. “Quanto menos vezes passar, melhor, pois há um risco menor de reação sistêmica, além de reduzir o risco de alergias na pele”, diz a dermatologista Carolina. Ela conta que há um repelente desses específicos para crianças, que pode ser usado acima dos dois anos.

  Esse repelente, no entanto, é um dos mais difíceis de encontrar, já que se esgota rapidamente das farmácias. A empresa que fabrica o produto informou que aumentou em oito vezes a produção, mas que mesmo assim nem sempre dá conta da demanda, que aumentou por causa da epidemia de dengue.
Tempo de ação: até 12 horas.

 

 DEET

  É o repelente comum, presente na grande maioria das marcas. Os repelentes com DEET duram quatro horas na pele, em média. Segundo o dermatologista Leonardo Abrucio Neto, do Hospital Beneficência Portuguesa, existe a suspeita de que o DEET não seja tão eficiente para repelir o mosquito da dengue, já que eles poderiam se tornar imunes ao princípio ativo. Para outros insetos, como outros tipos de mosquitos e pulgas, ele afirma que o DEET é eficaz.
Duração: até 4 horas

 “O Deet é o usado desde a década de 50, é o OFF, o Repelex… e a academia americana de pediatria libera para a criança, tanto na concentração de 10 quanto da de 30. Além de dormir com o repelente tem que usar os métodos de barreira, que são roupas, mosquiteiros para o mosquito não picar durante o sono”, recomenda a Dra. Tatiana.


DA REDAÇÃO

Crianças e bebês

  O repelente à base de IR 3535 é indicado para bebês acima de seis meses. Todos os outros repelentes só podem ser usados depois de dois anos de idade por causa da toxicidade. Por ser uma substância com menos risco de alergias e intoxicação, é indicado para tão pouca idade.

“Abaixo de seis meses é totalmente contraindicado. O ideal é, abaixo de dois anos, usar mosquiteiros”, recomenda Carolina.  Ela diz ainda que é bom lavar as mãos das crianças logo após a aplicação, já que elas podem ter contato direto com a substância e levar à boca.
Tempo de ação: Até 4 horas

10/01/2017 - 16:07

Conecte-se

Revista Viva Mais