Devo escovar os dentes do meu cão?

Há uma série de escovas e pastas dentais que podem ser usadas com segurança

Redação Viva! Mais

Passear com o pet antes da escovação e oferecer um petisco depois costuma funcionar bem | <i>Crédito: Shutterstock
Passear com o pet antes da escovação e oferecer um petisco depois costuma funcionar bem | Crédito: Shutterstock

A saúde do cão está diretamente relacionada com sua saúde dental, pois bactérias e o tártaro podem prejudicar bastante os animais. O acúmulo da placa bacteriana, além de prejudicar o hálito do cão, também promove uma série de questões que vão desde a queda dos dentes até problemas sérios com a mastigação. “Alguns cães param de se alimentar por conta da dor que a doença periodontal provoca”, explica a veterinária Paula Genuíno.


Mas os perigos não param por aí e podem ir além dos problemas mais simples como as gengivites, por exemplo. As bactérias podem chegar à corrente sanguínea e causar danos irreversíveis ao coração, ao fígado, ao rim e a outros órgãos vitais para o animal. “É fundamental escovar os dentes do cão todos os dias. Há uma série de escovas e pastas dentais no mercado pet que podem ser usadas com segurança, alguns cremes são feitos com sabores diferentes como carne ou peixe”, revela Paula. A especialista ressalta que devem ser utilizados produtos específicos para animais para evitar outros problemas.


Algumas dicas são essências para obter sucesso nesse processo – como paciência, por exemplo. “É preciso ter calma para acostumar o animal com a prática, mais ainda se não foi iniciada quando ele ainda era filhote. Não forçar o cão abrir a boca, pois ele ficará estressado e isso tornará cada vez mais difícil a escovação”, indica.


Passear com o pet antes da prática e oferecer um petisco depois também funcionam bem. Para evitar problemas dentários há duas formas eficientes. “A primeira é levar o cão ao veterinário ao menos uma vez ao ano para avaliação da necessidade ou não de remoção do tártaro. Se o animal for idoso essa frequência deve ser maior, mas isso varia de acordo com o estado de cada pet e será determinado pelo veterinário responsável”, conta.


A segunda maneira de prevenção é deixar à disposição brinquedos para que os cães mordam e buscar no mercado opções feitas justamente para auxiliar na limpeza dos dentes. Alguns ossos que previnem o tártaro e petiscos também ajudam nesse papel.


Por fim, Paula alerta para a alimentação do pet e garante que isso faz toda a diferença. “O alimento oferecido para o animal vai influenciar na saúde dele como um todo, inclusive para a saúde odontológica. Hoje em dia temos boas opções para todos os bolsos e não é difícil encontrar um bom alimento para cada pet. Ossos naturais devem ser evitados, pois podem causar problemas sérios, como fratura nos dentes e perfurações no sistema digestivo”, conclui.

 

01/07/2017 - 06:09

Conecte-se

Revista Viva Mais