Como acostumar o pet a usar a caixa de transporte

Cães são animais de toca e gostam de se esconder em locais pequenos! Basta um empurrãozinho para eles aceitarem a caixa de viagem, saiba como

Por Ludmila Cristina Baldi, Bióloga, Msc. Adestradora na Cão Cidadão

O tamanho da caixa deve garantir que o animal consiga deitar, ficar em pé e dar uma volta ao redor do corpo | <i>Crédito: iStock
O tamanho da caixa deve garantir que o animal consiga deitar, ficar em pé e dar uma volta ao redor do corpo | Crédito: iStock

É muito comum ver os cães se esconderem em um local bem pequeno quando algo os assusta. Ao ouvir fogos ou trovões eles logo correm para debaixo de algum móvel. Isso ocorre porque os cães são animais de toca, o que significa que eles gostam de desfrutar de pequenos espaços: seja para dormir, descansar, roer um osso, mas, principalmente, porque nesses locais os pets se sentem seguros e protegidos. Mesmo que o cão tenha acesso a todo conforto da casa, é importante que ele tenha um local só dele que funcione como abrigo e traga a sensação de bem-estar nos momentos em que se sentir sozinho ou ameaçado.
  A caixa de transporte funciona muito bem como toca para o pet. Além de fazer o papel da casinha convencional, quando usada para o fim a que se destina, ela garante que os passeios de carro e as viagens sejam menos estressantes, proporcionando maior conforto, tranquilidade e segurança. O tamanho da caixa deve garantir que o animal consiga deitar, ficar em pé e dar uma volta ao redor do corpo (aquelas conhecidas “voltinhas” antes de deitar). Deve ser resistente, ter uma trava segura, bem ventilada e de fácil limpeza. Além disso, é necessário associá-la a coisas positivas – jamais prenda o animal lá como forma de castigo ou punição. O treino correto do uso da caixa de transporte é o que tornará o objeto o refúgio do seu amigo. Para isso, aí vãos algumas dicas importantes:

1. Casinha amiga
Estimule o cão a usá-la todos os dias como casinha/toca. Coloque algo confortável sobre o qual ele possa deitar (a roupa com o cheiro da família também traz ao pet a sensação de bem-estar). Deixe-a aberta dentro de casa (ele deve perceber que pode entrar e sair quando quiser) em um local que haja a presença constante da família. Induza o animal a entrar utilizando ração, petiscos ou o brinquedo favorito dele. Faça bastante carinho, brinque e interaja com ele enquanto estiver dentro da caixa de transporte.

2. Hora de fechar a grade
Quando o cão já estiver habituado a entrar na caixa comece a fechar a grade por alguns segundos. Recompense-o pela grade e abra ela novamente. Aumente o tempo de permanência e a distância aos poucos.

3. Tempo máximo na caixa
O tempo de permanência do pet na caixa de transporte não deve ultrapassar o tempo máximo de contenção (somar 1 à idade do cão em meses. Por exemplo, um cão de dois meses deve ficar no máximo três horas sem fazer as necessidades, respeitando o limite máximo de oito    horas para cães a partir de 8 meses).

4. Atenção para viagens longas
No caso de viagens longas, certifique-se de que o animal fez as necessidades antes e, se possível, pare para ele fazer no caminho, andar e beber água. JAMAIS o deixe na caixa sem supervisão ou dentro do carro sem ventilação, sob o sol ou situações adversas. Cães com verminoses ou outros problemas não devem ficar contidos, pois não conseguem controlar a necessidade de urinar ou defecar. No caso de viagens de avião e/ou internacionais, atente-se às normas das companhias aéreas e do país de destino.

5. Conversa com o veterinário
Converse sempre com o veterinário de sua confiança sobre a possibilidade do uso de medicamento no caso de cães muito agitados e ansiosos, e também sobre a dieta ideal para evitar que o bichinho passe mal durante a viagem.

 

25/05/2017 - 09:26

Conecte-se

Revista Viva Mais